19/09/2018

A Tua vontade


Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.
Mateus 6:10


Até que ponto estamos sinceramente dispostos a aceitar a vontade de Deus para nossa vida?

Com certa frequência, nos enganamos acerca do que achamos ser o melhor para nós, pois nossa visão é muito limitada e prejudicada pelo pecado.

Por isso, acredito que precisamos orar pedindo à Deus que nos transforme a ponto de realmente desejarmos da forma mais sincera possível que seja feita somente a vontade dEle em nossa vida.


12/09/2018

Confiança em Deus


Por isso, não tema, pois Eu estou com você.
Não tenha medo, pois Sou o seu Deus.
Eu o fortalecerei e o ajudarei.
Eu o segurarei com a Minha mão direita vitoriosa.
Isaías 41:10

Quando as coisas estão indo bem, próximo do que planejamos – ou até melhor – é fácil demonstrarmos confiança em Deus.


Mas e quando as coisas saem bem diferentes, muito piores do que nossas estimativas e projetos? São nesses momentos em que percebemos de forma clara o tamanho de nossa confiança em Deus.



05/09/2018

Tristeza x Esperança


Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face.
Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; por isso lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o pequeno monte.
Salmos 42:5,6

29/08/2018

Diariamente


Bendirei o Senhor o tempo todo!
Os meus lábios sempre o louvarão!
Salmos 34:1

Estão nossas palavras e atitudes diárias realmente louvando a Deus?


22/08/2018

Cura para o vazio da alma - Vasti de Souza Viana - Resenha



Hoje eu gostaria de compartilhar uma resenha que postei há alguns meses no meu outro blog, Simplicidade e HarmoniaEspero que de alguma forma, seja útil à você.

Todos nós já sentimos um certo desconforto que nada nem ninguém consegue preencher. Essa sensação de vazio e incompletude pode durar alguns dias, meses, anos ou décadas, sendo que uma parte conseguimos resolver por nós mesmos através de satisfações alcançadas ou momentos de felicidade. Mesmo assim, parece que sempre há algo faltando, mas que não sabemos o que é - esse é o tema desse livro, que possui uma abordagem mais espiritual.


capa-do-livro
clique nas imagens para ampliá-las
 contracapa-do-livro

"Muitos de nós sentimos certo vazio, um misto de fadiga, desgaste e inquietude, falta de algo que não se sabe bem o que é.
Será que existe algo poderoso que cure esse vazio e satisfaça plenamente essa carência de alma?" (reflexão na primeira página do livro).

O livro foi lançado pela Ideal Gráfica e Editora em 2014 e possui 128 páginas divididas em 20 capítulos - todos com perguntas para reflexão no final. Há também exercícios em vários capítulos, o que é muito útil para melhor assimilação e prática do conteúdo.

Fé, oração e comunhão são fundamentais para alcançar os objetivos propostos no livro, sendo que nossa motivação para nos relacionarmos com Deus deve ser primordialmente o amor que Ele nos dedica.


Descubra algo novo

Esse é o primeiro capítulo do livro, no qual a autora diz:
"Deus deseja que mantenhamos comunhão com Ele, mas na ausência dessa comunhão, procuramos algo para preencher essa insatisfação, como coisas inadequadas ou perigosas. Mesmo coisas que em si são inocentes, podem tornar-se crueis dominadoras, se lhe permitirmos tomar o lugar de Deus em nossa vida."

Exemplos: recreações perigosas; filmes exageradamente emocionantes, violentos, dramáticos ou sensuais; glutonaria; consumismo, falta de temperança, etc. 

Por que essas coisas são tão procuradas? Por que será que nos acostumamos e gostamos delas?

Será que as procuraríamos se possuíssemos verdadeiramente os frutos do Espírito?

"Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Contra estas coisas não há lei."
Gálatas 5:22,23

Por isso, precisamos orar mais. É primordial encontrarmos tempo para essa atividade espiritual essencial, mesmo com tantas tarefas diárias.

Dias ruins chegam para todos e são nesses momentos que mais percebemos a fragilidade de nossa relação com Deus e de nossas orações, caso não sejam a prioridade em nossa vida cotidiana.

A oração precisa ter conteúdo, pois muitas vezes as fazermos mais pela força do hábito do que pela força da fé. "Oramos como quem olha uma vitrine, isto é, sem esperar que algo importante vá acontecer. Olhar vitrine não custa nada, mas deixa as pessoas de mãos vazias", disse Catherine Marshal.

Quanto mais orarmos a Deus, mais vontade teremos de orar, sendo o inverso também verdade. Precisamos suprimir nossa imaturidade no relacionamento com Deus e ter a mente disciplinada e interessada em meditar nas Escrituras e em orar. Dessa forma, conseguiremos ter uma ligação mais significativa com Deus. A maior motivação para isso é que "em Sua presença há plenitude de alegria."  Salmos 16:11


Sequência lógica de assuntos

Para que a oração seja mais proveitosa, coerente e sem repetição de assuntos, a autora sugere a seguinte sequência:

1) Confessar cada pecado, aceitar o perdão de Deus e perdoar nossos ofensores.

2) Adorar e louvar a Deus pelo que Ele é e pelo que Ele faz.

3) Petições pessoais e intercessoras.

4) Expressar confiança, fé e alegria de que Deus responderá nossas petições à Sua maneira.

5) Demonstrar gratidão.

6) Ouvir. A oração é um diálogo com Deus e não um monólogo. Por isso,"um dos grandes segredos das orações poderosas é aprender a ouvir a voz de Deus. Podemos ouví-Lo enquanto oramos ou ficando em silêncio por alguns momentos após a oração" - sugere a autora.


Sequência de temas para a semana

Gostei dessa sugestão, pois muitas vezes oramos pelos mesmos temas todos os dias, o que sobrecarrega a oração com mais do mesmo. Não raro nos perdemos ao expressar todos os nossos pedidos e intercessões além da adoração, louvores e agradecimentos em uma única oração. Dessa forma, a oração fica confusa, dispersiva e longa, o que muitas vezes provoca desânimo.

Para solucionar esse problema, a autora sugere que cada tema seja abordado em um dia da semana, sendo que problemas mais sérios merecem atenção diária.

Considere que as sugestões abaixo devem ser personalizadas de acordo com as necessidades de cada um:

Domingo: Ore por si mesmo em âmbito geral.

Segunda-feira: Ore por essa mesmas coisas por seu cônjuge.

Terça-feira: Ore por seus filhos, netos e familiares, dizendo seus nomes e necessidades. Acrescento também aqui seus animais de estimação.

Quarta-feira: Ore por pedidos de outras pessoas, dizendo seus nomes e necessidades.

Quinta-feira: Ore por seu País, Estado, Cidade, autoridades; chefe e colegas de trabalho. Acrescento aqui também orar pela natureza de forma geral.

Sexta-feira: Ore pelo pastor de sua igreja e seus familiares, missionários, projetos evangelísticos, etc.

Sábado: Ore agradecendo, louvando e reconhecendo a majestade de Deus. Adore a Deus como Soberano de sua vida.


Orar caminhando

Enquanto caminha, a autora sugere que oremos intercedendo por algumas pessoas que cruzaram em nosso caminho - o que pode ser feito também em grupo.


A hora diária que pode mudar o seu dia

Quando pensamos na correria diária, geralmente não vemos como dedicar 1 hora inteira à oração e comunhão com Deus, mas com tempo e prática percebemos o quão importante são esses momentos, pois "muita oração, muito poder; pouca oração, pouco poder".

Assim como a mudança de outros hábitos passa por estratégias, com esse não é diferente. Veja abaixo as etapas:

1º etapa: Contemplação - há conhecimento, mas ainda não há prática.
2º etapa: Preparação - início do aprendizado na prática.
3º etapa: Ação - prática regular por alguns meses.
4º etapa: Manutenção - quanto o novo hábito é praticado por 6 meses ou mais, pode-se considerar implantado.

Como inicialmente 1 hora por dia pode parecer muito, a autora sugere começar com 10 minutos, aumentando 5 minutos a cada semana. Após isso, se não for possível orar por 1 hora consecutiva, pode-se dividir os 60 minutos em 2 ou 3 partes.


Minha experiência

Orar durante 1 hora por dia não é tão difícil quanto parece inicialmente. Com o tempo, todos os minutos começam a ser satisfatoriamente preenchidos por você ou por Deus.


A oração modelo

Em um dos últimos capítulos do livro, a autora aborda a oração mais conhecida de todos os tempos: o Pai Nosso.

Essa oração não é apenas para ser recitada, mas para servir realmente de modelo, tanto que em Lucas 11:1 há o pedido dos discípulos à Jesus: "Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos."

"Uma coisa é ler ou recitar uma oração, outra muito melhor é saber como orar. A Oração do Senhor cobre todas as coisas. Se em nossas orações seguirmos esse modelo, podemos ter certeza de que estamos orando como Jesus ensinou", diz a autora.

A oração do Pai Nosso possui 2 partes:
1º parte: glorificar a Deus.
2º parte: suprir as necessidades humanas.

De acordo com esse modelo, podemos perceber que o objetivo principal da oração é glorificar a Deus e somente depois, falar sobre as nossas necessidades.

"Nossas orações não modificam a Deus. Elas modificam a nós mesmos, nos elevam para mais perto dEle".


Conclusão

O livro é essencialmente espiritual, apresenta bons argumentos, exercícios e reflexões.

A leitura é agradável, com linguagem simples e de fácil entendimento, sendo algumas vezes mais profunda, como esperado para o tema. 

É um livro que recomendo àqueles que buscam desenvolver e aprimorar suas orações e comunhão diária com Deus. Porém, apesar de ser muito bom ao propor o melhor aproveitamento da oração, é sábio ter em mente que Deus não é como um restaurante self-service ou o gênio da lâmpada da ficção. Além disso, muitos de nossos pedidos não trariam bons resultados para nossas vidas, pois nossa visão é muito limitada.

Acredito que precisamos orar à Deus com fé e confiança suficientes para conseguirmos dizer com convicção e tranquilidade: "Que seja feita a Sua vontade em minha vida".

Encerro minha resenha com a última frase do último capítulo do livro:

"Nossa busca pela satisfação da alma através da sublime amizade com Deus continuará sempre, enquanto o Senhor nos conceder vida."